20 Comparativos para você comprar o melhor seminovo - - Blog do Rikintosh -

NOVAS

terça-feira, 18 de outubro de 2016

20 Comparativos para você comprar o melhor seminovo

Separamos 20 carros usados realmente legais que você pode comprar e comparamos com os modelos novos. Juntos, todos esses seminovos representam desconto de mais de R$ 700 mil frente aos 0 km!
São carros, ainda na garantia, fáceis de achar pelos preços sugeridos. Mas, antes de tomar a atitude, vá até o fim da reportagem e veja como fazer a compra do jeito certo, sem praguejar contra a Car and Driver pelo resto do ano. Bom 2016! 
FORD FOCUS 2014
Focus
A última remodelação do Focus, ocorrida no meio do ano passado, serviu apenas para colocá-lo em compasso com a estratégia de carros globais da marca; ah, e claro, para transformar um sedã em um Fastback sem mudar uma linha do desenho. No entanto, o grande problema de mercado é que versão vista nas fotos não chegou a completar dois anos com essa cara, e o que importa, leia-se motor, câmbio, espaço interno e nível de equipamentos permaneceu intacto. Assim, o comprador do antecessor teve de conviver com uma desvalorização imensa desde que o Focus 2016 chegou.
E agora você, que é mais sortudo que apostador de Mega-Sena em Brasília, pode economizar R$ 32.900 na compra de um carro em comparação a outro  um ano mais novo. Com apenas R$ 66.000 você encontra o Focus Titanium 2014, com motor 2.0 de 178 cv, teto solar, sistema SYNC e as inconfundíveis rodas escuras, e quase sempre com menos de 40 mil km. O carro novo com a frente globalizada e bem pouco mudado custa indigestos 98.900!  
HYUNDAI AZERA 2013
Azera
Ele chegou em 2012 e revolucionou o nome Azera. Saiu aquele modelo que parecia um carro de embaixada russa no Quênia, e custava em torno de R$ 70 mil, e por R$ 109 mil (à época) surgiu o novo espectro de desenho que a marca seguiria até hoje. Com motor 3.0 V6 de 250 cv o sedã ganhou em desempenho e em eficiência frente ao beberrão antecessor. Mas o fato mais marcante foi o extremo refinamento pelo qual passou. A Hyundai o elevou ao patamar de acabamento do Azera ao nível de Mercedes-Benz e BMW. Também foi o primeiro a receber o motorista com toques musicais, ter o painel com efeito em 3D, freio de estacionamento eletrônico e o teto solar panorâmico.
A versão 2013 é a mesma do lançamento em 2012 e não passou por recalls no Brasil, ainda que nos EUA a NHTSA tenha exigido que a Hyundai convocasse os modelos 2012 para substituição do sensor do airbag. Com 4,91 m de comprimento e 2,85 m ele pode ser o sedã ideal para dividir as tarefas entre o trabalho e a família. E com muito mais estilo do que qualquer outro sedã 0 km que custe até R$ 89.900.
MITSUBISH ASX 2015
ASX
Ele está com os dias contados. A linha 2016/2017 passará por profunda reestilização, por isso não vale mais a pena comprar um 0 km por R$ 98.490. Como a desvalorização é alta, quem tem fé na arruda de guiné encontra até unidades do modelo 2014/2015 por preços abaixo de R$ 80 mil e com quilometragem que não chega a 40 mil km. O crossover produzido em Catalão (GO) vem com motor 2.0 16V de 160 cv e entre os diferenciais frente ao importado do Japão até 2013 traz as rodas de 18”, em vez das de 17”, o que obrigou a Mitsubishi a recalibrar molas e amortecedores. Sim, o ASX nacional é mais confortável e bate menos que o japonês.
Além dessas caratcterísticas particulares, o ASX brinda seus donos com excelente dinâmica e espaço de carro grande. Mesmo usado, ele ainda conta com dois anos de garantia e o único problema para quem compra um ASX, qualquer um deles, quer manter a garantia, são as revisões de 40 mil km e de 80 mil km que, nas concessionárias, saem por R$ 1.132 e R$ 1.275 respectivamente.
ASX
VOLKSWAGEN HIGH UP 2014
Up
Esqueça a versão TSi e pense apenas no Up. Aquele carro simpático, minimalista que não bebe nada e é um dos campeões do Brasil quando o assunto é segurança. Sim, nós gostamos dele por isso e porque a posição de dirigir é excelente, pessoas adultas conseguem se acomodar bem no VW, o motor e o câmbio trabalham com refinamento e a suspensão permite certos abusos. Mas, vem cá, como alguém em sã consciência paga R$ 45.990 nele em vez de comprar um Move Up TSi por R$ 44.790?
Basicamente por esse motivo a lei da oferta e da procura baixou sua mão invisível: a busca pelas versões mais equipadas dos Up usados caiu, e com ela os preços. Com uma economia de R$ 9 mil você entra em um High Up 2014, com rodas de liga leve, ar-condicionado e direção hidráulica. E, lembre-se, eles são o mesmíssimo carro. E caso a sorte sorria mais uma vez, você ainda acha uma unidade equipada com o Maps&More (Multimídia e GPS) sem gastar nada a mais. Enquanto no Up 2016 o item sai por R$ 1.518 extras.  
TOYOTA COROLLA XEi 2014
Corolla
Está aí uma prova concreta de que os carros, apesar da recessão, subiram demais de preço. Ok, vá lá que a lei da oferta e da procura tenha feito a Toyota ajustar os valores do Corolla para que ele não suma das lojas, e que as vendas acompanhem a produção. Mas um veículo lançado ao preço de R$ 79.900 em 2013, hoje custar R$ 89.490 (12% a mais) é difícil de entender. No entanto, ao menos por um lado, imagine que o dono do Corolla está pedindo irrisórios R$ 2 mil a menos do que ele pagou, um exemplo cristalino de liquidez. Vale a pena entrar para este grupo. Ainda mais porque esta geração é a melhor do Corolla e ainda é a mesma à venda nas lojas.
É evidente que pagar R$ 77 mil em um carro usado faz você pensar se vale mesmo a pena. Mas, lembre-se, em tempos de crise qualquer caraminguá extra aumenta a felicidade. E são R$ 12.490! No entanto, mais do que isso, este Corolla  traz a certeza de que você está em um carro que transborda confiabilidade, idêntico ao zero quilômetro, e que ainda desfrutará de mais, pelo menos, um ano e meio de garantia. Vai deixar escapar?
Corolla
HYUNDAI HB20X 2014
HB20X
Ele acabou de ser reestilizado e isso não é uma má notícia para quem quer ser feliz economizando. A sorte está no fato de que no momento da chegada da linha 2016 às concessionárias o valor dos HB20X seminovos caiu, em média, 5%. A demanda reprimida em busca do novo desdenha do modelo antigo. E nessa você, que só quer um carro legal para andar, se dá bem. Em vez de pagar os R$ 59.395 pelo 2016 automático, dá pra gastar R$ 44.900 e entrar de cabeça na versão topo de linha do modelo 2014, com sistema Blue Nav, indisponível na Style atual, e câmbio automático de 4 marchas. E com fé na folha de louro, você até encontra unidades com banco de couro por este preço.
No entanto, é impossível se dar bem sempre. O novo HB20X vem com câmbio automático de seis marchas, o que revigorou o seu já honesto desempenho e baixou os níveis de consumo, e com direção elétrica, mais suave em manobras de estacionamento. Aí é você quem decide se essas mudanças valem os R$ 14.495 que sobraram na conta. 
HB20X
HONDA CR-V 2013
CR-V
Ele pertence à geração reestilizada imediatamente antes da atual, que só recebeu alguns retoques. Em suma, ele é aquele CR-V que ganhou ares de Volvo na traseira e a dianteira marcante dos novos Honda. Do antecessor, manteve o espaço interno latifundiário, o bom motor 2.0 de 155 cv e o câmbio automático de cinco marchas, usado até hoje. Em abril de 2013 ele virou flex, e é este o carro que você deve procurar pelos R$ 84.900 que encontramos, sob a alcunha 2013/2014.
Este Honda também tem o porta-malas maior (saltou de 556 para 589 litros) e é o primeiro da linha a trazer o sistema ECON, que visa a economia de combustível e alerta o motorista com filetes luminosos em volta do velocímetro. Ali a luz branca significa que se está acelerando demais, a verde indica economia. Preferimos a versão LX pois as diferenças extéticas frente a EXL são mínimas, sendo que a mais cara só era vendida com tração 4WD. As versões EXL a partir de setembro de 2013 começaram a vir com tração 4x2, mas você ainda não as encontra por esse preço, a propósito,  mais em conta que um HR-V EXL.
CR-V
CHEVROLET ONIX LT 1.0 2014
Onix
O carro mais vendido do Brasil em 2015 não é um fenômeno de vendas à toa. Além de bem desenhado, ele tem acabamento digno de um carro que parte de R$ 38.490 na versão 1.0 LS, e de R$ 42.590 na 1.0 LT, já equipada com trio elétrico, com vidros elétricos antiesmagamento, comandos de abertura de portas e porta-malas na chave, além de ar-condicionado e direção hidráulica de série. Mas você pode ter tudo isso gastando o preço de um 1.0 popular sem equipamentos. Sim, por R$ 10.500 a menos não é difícil encontrar o mesmo Onix LT, ano 2014.
Caso você queira arriscar a sorte, por algo entre R$ 32.500 e R$ 33.500, encontra-se o modelo equipado com o My Link, o sistema multimídia que serve também de interface para o seu celular. A pechincha se torna ainda mais atrativa considerando os modelos 2014, que só sofreram o recall de substituição do filtro de combustível, feito nas revisões dos carros envolvidos. Se há um encontro claro de grana com sorte, ele está aqui.    
Onix
VOLKSWAGEN FUSCA 2014
Fusca
Um dos carros esportivos mais legais que você pode comprar. A VW reeditou o nome Fusca nesta geração e o transformou no superlativo da palavra Fuscão. Com motor 2.0 turbo e câmbio DSG de seis marchas, ele está exatamente igual desde o lançamento, no fim de 2012 como linha 2013. Pelos R$ 69.900 que os lojistas e primeiros donos geralmente pedem pelo carro, você não vai encontrar nada que o faça esmagar suas costas no banco como o Fusca é capaz de fazer. É a sorte em forma de prazer.
Com 200 cv de potência e 28,5 mkgf de torque, o VW leva apenas 7,3 s para ir da imobilidade aos 100 km/h e retoma dos 80 aos 120 km/h em irrisórios 5,9 s. A agilidade espantosa é acompanhada de requinte interior que você só encontra na linha Highline do Golf. Saíram os apetrechos um tanto alegres demais, e o vasinho de flores do New Beetle, e entraram manômetros e cronômetros. Tudo para cativar aficionados dispostos a pagar 40% a mais por ele, no lançamento. Hoje o modelo 2013/2014 custa menos que uma SpaceFox nova e, sim, vale muito mais a pena.
Fusca
TOYOTA HILUX SR 2014
Hilux
Aqui, nesse comparativo, você pode conhecer a nova Hilux, que começou a ser vendida em novembro. O acabamento melhorou? É obvio. E a posição de dirigir, está mais agradável? Muito. Mas quanto vale uma mudança de geração? Bom, a resposta pode estar na diferença de preços entre uma versão SR, diesel, seminova, e a que acabou de ser lançada: R$ 52.420. E é mentira dizer que a “velha” Hilux é tão pior que a 2016.
Com tração 4x4, bancos de couro, motor 3.0 turbodiesel de 171 cv e câmbio automático de cinco marchas, ela atende com destreza a quem precisa de uma picape que encare os desafios do campo e dê conta de esbanjar conforto na cidade. Ah, e você até pode reclamar que a tração 4x4 não é eletrônica, e se sentir desprestigiado por ter de acioná-la por outra alavanca no console central. Mas isso passa. Quer uma dica? Ande com o extrato da sua conta no bolso, para se lembrar dos R$ 52.420 a mais que tem lá.
Hilux
FIAT 500 CULT 2014
500
A alta do dólar fez o preço deste Fiat disparar no mercado de novos, contudo tal galope financeiro não se refletiu nos modelos seminovos. Com pouco mais de um ano de uso, o simpático 500 Cult, equipado com motor 1.4 Flex de 88 cv e câmbio manual pode ser seu por menos de R$ 40 mil, e é exatamente o mesmo carro que você vai achar novo por R$ 56.900, sem tirar nem pôr. Aliás, nada muda nele desde que começou a vir importado do México, em agosto de 2011.
Com estilo de sobra e praticidade para a vida urbana, o 2014 custa menos que um Fiat Palio 1.0 e entrega uma atmosfera de padrão internacional, com qualidade de construção aprovada pela NHTSA, a entidade que regulamenta os carros que rodam nos EUA. Como você ainda tem mais de um ano de garantia, é legal ficar esperto nas revisões. A de 30 mil km sai por R$ 744, a de 45 mil km custa R$ 660 e a de 60 mil km vai a salgados R$ 1.240. Pelo menos você já economizou R$ 17 mil, certo? 
500
HONDA CIVIC LXR 2014
Civic
É aquela velha história: já que o carro vai mudar, para que comprar um 0 km agora? Pois é, a Honda lança a nova geração do Civic em setembro do ano que vem. Já os sortudos com grana na mão podem pagar R$ 62.900 nessa versão LXR 2.0, lançada em fevereiro de 2013, que continua sendo vendida hoje com praticamente a mesma configuração, ao preço de R$ 80.700.
Vale lembrar também que, em junho do ano passado, o Civic passou por uma reformulação leve, ganhou para-choques novos, e a versão EXR para 2015, mas não é esse o carro de que estamos falando, e sim o modelo 2014. Ele vem com motor 2.0 flex de 155 cv, câmbio de cinco marchas e a boa e velha capacidade dinâmica de sempre. Foi nesta versão que o sedã ganhou a função ECON com luzes que indicam o consumo instantâneo, e que passou a contar com central multimídia e GPS, estes só na versão EXR, mais cara. Quando for comprar o seu, veja se a sua unidade específica atendeu os recalls do airbag do motorista e do sensor do marcador combustível. Depois é só ser feliz.
Civic
VOLKSWAGEN JETTA HIGHLINE 2014
Jetta
O gato da sorte acenou o bracinho para você. E nenhum Viciado em Carro está autorizado a desprezar algo que acelera como um dragster e ainda trata você e os passageiros com a receptividade que convém a um sedã. O Jetta acabou de ser reestilizado levemente, mas isso não eliminou o status do antecessor. Não é preciso ter sorte para encontrar o modelo 2014, último antes da reestilização, com baixa quilometragem e R$ 21 mil mais em conta que o modelo 0 km, além de desfrutar de pouco mais de um ano de garantia.
O valor do seguro (em torno de R$ 4.750 por ano) e das revisões segue os mesmos parâmetros do 0 km. Mas o mais importante está no desempenho que permanece avassalador com o 2.0 turbo de 211 cv, acompanhado pelo inimitável DSG de seis marchas. Há quem diga até que o antecessor tem um estilo mais harmonioso frente ao 2016. Não vamos entrar nesse debate. Só queremos que você se divirta muito e desfrute dos R$ 21.900 extras na sua conta bancária.  
Jetta
CHEVROLET CAMARO 2014
Camaro
Enquanto o novo Camaro, mais refinado e esportivo não chega ao País, nos divertirmos com a linha 2015. Ou pode-se fazer melhor. Dizem que ter um Camaro é igual a ter um barco, você dá pulos de alegria quando compra e solta rojões quando consegue vender. Por isso um modelo 2014, já com as novas lanternas traseiras da versão reestilizada, custa exatamente R$ 61.450 (o preço do novo Cobalt na versão mais cara) a menos que a versão 0 km, que mudou tanto quanto a localização geográfica do Everest nos últimos dois anos.
É claro que você vai penar para revendê-lo quando enjoar do ronco maravilhoso do 6.2 V8, dos 406 cv e do tanto de fãs que vai ganhar em um raio de dez quarteirões de onde você estiver parado. Mas isso faz parte da vida de quem compra um esportivo, com alto preço do seguro (R$ 14.700), e manutenção de fábrica com valores acima dos R$ 1.500 por revisão. O importante é aproveitar tudo o que ele lhe dá, economizando grana suficiente para dar entrada no próximo.
Camaro
BMW 320i 2014
320i
Quando ele chegou, em fevereiro de 2014, mostrava ao mundo que a tecnologia turboflex era possível e poderia funcionar com a perfeição de uma mandinga bem feita. Ao preço de R$ 129.950 provocou a concorrência e encerrou o ano com mais de 5.558 vendas. Também, pudera, como não escolher o refinamento dinâmico, esse 2.0 de 184 cv, aliado a um câmbio de oito marchas e tração traseira, ainda mais podendo abastecer com etanol? Hoje o 0 km é o mesmo carro de 2014, com a diferença de ser produzido no Brasil, mas custa salgados R$ 141.950 e deve receber um facelift no primeiro trimestre do ano que vem. Ou seja, se você quer um BMW 320i, você é um cara de sorte.
Encontramos unidades com pouco mais de um ano de uso por R$ 98.900, R$ 43.050 a menos que o modelo novo. Abusando da sorte, por R$ 110 mil você encontra a versão 2014 com GPS, que hoje sai por R$ 153.950! Só fique esperto mesmo é com a manutenção programada para os 48 mil km (na BMW as revisões são feitas a cada 12 mil km), que custa, em média, apimentados R$ 4.500.
320i
RENAULT LOGAN AUTHENTIQUE 1.0 2014
Logan
Imagine economizar R$ 11 mil em um carro e ninguém perceber que é um usado? É esse o tipo de vantagem que você leva escolhendo a versão básica do Renault Logan 2014, que pode ser encontrada por R$ 30.990, em vez da 2016, que sai por R$ 42.200. Mas nesse caso a vantagem, há de se dizer. não é absoluta. O Logan 2014 que você vai encontrar por este preço, certamente será o cúmulo do pé de boi. Sim, quando foi lançada a versão reestilizada ainda havia a opção de se comprar o sedã sem ar-condicionado e sem direção hidráulica.
Tanto que ele fora lançado em novembro de 2013 com preço inicial de R$ 28.990. Passado esse tempo, hoje só  se consegue adquirir um, ainda que na versão básica, equipado com ar-condicionado e desembaçador do vidro traseiro, para dizer o mínimo. Bom, pelo menos você continua desfrutando dos bons custos de manutenção, e pode instalar um ar-condicionado em uma empresa especializada por algo em torno de R$ 3.500. E assim mesmo sobram R$ 7,5 mil.
Logan
MERCEDES-BENZ C180 2014
C180
Seis meses antes de o novo Classe C chegar, a Mercedes-Benz fez uma espécie de saldão com algumas unidades e as vendeu por preços perto dos R$ 115 mil. Isso pode ter esvaziado os estoques, mas foi como um sapo de macumba no estofamento dos bancos de quem tinha um. A réplica foi a desvalorização excessiva, e hoje você compra o C180 por menos do que gastaria se quisesse um Toyota Corolla Altis. O acabamento de primeira linha, a direção que trabalha com a perfeição dos seus próprios braços e a sensação de estar guiando um cofre que desliza sobre o gelo são as mesmas do modelo atual.
Tudo bem, ele é menor e mais apertado atrás, mas alguns amantes da marca garantem que se sentiam melhor nesse sedã médio que a marca vendeu como pão quente por aqui. O motor CGI 1.6 de 156 cv com câmbio de sete marchas acelera de 0 a 100 km/h na casa dos 10s e a média de consumo é de 9,5 km/l de gasolina. Mas antes de checar se estes números são satisfatórios ou não, pense: em qual outra ocasião você economizaria R$ 49 mil e desfilaria de Mercedes?
C180
HYUNDAI HB20S 2014
HB20
Antes de pensar em comprar um HB20 sedã 1.0 usado, você dar uma olhadinha aqui em como ficou a nova versão 2016. Vá lá e volte. Bonita, né? Cheia de vincos e tal. Mas, aqui entre nós, você acha que ela pode valer R$ 9.465 a mais que a antecessora? Nós achamos que não, muito em virtude de que a aplicação do câmbio de 6 marchas na nas versões 1.0 não tiveram a relevância esperada. Ou seja, comprando a versão Comfort Style 1.0 2014 ou o 2016, a sua sensação de dirigir será praticamente a mesma.
O que também acontece com o espaço para os passageiros, no limite da honestidade, e para as bagagens, fatores determinantes na hora de escolher por um ou outro sedã. A única desvantagem, além de uma querela de status, é que você perdeu dois anos dos cinco de garantia. Mas em três anos, creia, você resolve os problemas que poderia ter com ele ao longo da vida útil. E, na boa, são quase R$ 10 mil economizados em tempos de crise, certo?
HB20S
FORD FUSION TITANIUM 2014
Fusion
Status, presença e estilo são as marcas do Fusion na terceira geração desse sedã importado do México. Mas o pé de coelho de tal história nem está no quanto de imponência ele vai emprestar a quem está ao volante, e sim que Fusion Ecoboost sobe em um pedestal inalcançável de carros vendidos por este valor, com a benesse de que o modelo 2013/2014 é o mesmíssimo que você vai encontrar nas concessionárias por R$ 123.400. Aquele que acelera de 0 a 100 km/h em menos de 8 s. Mas sairá por R$ 85.900 nas revendas.
No entanto você precisa ficar atento a algumas coisas. Se o carro que você escolheu for ano 2013 (e não 2013/2014) certifique-se de que ele passou pelos recalls da bomba de combustível, da caixa de direção, do reclinador do encosto de cabeça, do módulo do sistema de segurança e das fechaduras das portas. Sim, esse Fusion deu problemas para a Ford. No entanto, de 31 de agosto de 2013 em diante, todos trabalharam perfeitamente, e está aí o Fusion Titanium que você deve comprar.
Fusion
MERCEDES-BENZ C63 AMG 2013
C63 AMG
Durante algum tempo este foi o sedã médio mais alucinante que vivia sobre a terra. Não era o mais rápido de sua classe, pois perdia para o BMW M3 4.0 V8 em circuitos, mas você poderia explicar a um Viciado em Carro a força do seu V8 6.2 de 457 cv com poucas palavras: “É um Civic V8”. Como o Civic mudou pouco de lá para cá, continua sendo. Ainda que o novo Classe C63 AMG 2016 seja 100% novo e tenha se tornado a nova referência, ele custa R$ 508 mil.
Pense: você jamais conseguiria comprar algo com tamanha capacidade esportiva pelos R$ 350 mil deste 2013. Claro que quem tem esse montante na mão não quer se sujeitar a passar nervoso com um carro que dê problemas. Não esquenta. Assim como você fará, os antigos donos (geralmente únicos) rodaram bem pouco com eles e você encontra unidades com 10 ou 15 mil km percorridos. É a chance que você tem de entrar para o primeiro mundo dos esportivos sem ter de refinanciar a sua cobertura na praia. Se tem essa grana na mão, nem pense em dar de entrada em um C63 AMG novo!
C63 AMG
16 DICAS PARA COMPRAR SEU USADO
PREÇO
Antes de tudo tenha uma base de valores para saber exatamente o quanto custa o carro que você está procurando. A tabela FIPE é uma excelente base de pesquisa. Se a unidade escolhida estiver com preço em torno de 5%, para cima ou para baixo, negocie. Acima disso, você tem que pechinchar. E muito abaixo, pode desconfiar. Tem algo errado aí.
LUGAR
Procure sempre ir acompanhado ou marque em um local movimentado para fechar o negócio. Em especial quando o carro for de algum particular, e não de uma agência. Prefira fazer a visita durante a luz do dia. Não é raro os compradores sofrerem golpes, extorsões e até assaltos na hora de ver o carro combinado previamente.
REVENDAS
É claro que comprar de uma pessoa física sai mais barato, no entanto se você compra em uma revenda, está amparado pelo Código de Defesa do Consumidor. Sim, há uma lei que obriga que a empresa dê, pelo menos, três meses de garantia para o produto adquirido, independente de qual for o defeito. No particular você fica descoberto pela lei.
PAGUE À VISTA
Em época de recessão é raro quem tenha dinheiro na mão. No entanto, com o declínio da renda média também está difícil aprovar o crédito. Hoje a taxa varia entre 1,6% e 3,9%, dependendo do valor do crédito e do número de parcelas. E mais uma: carro usado não tem facilitação. O “taxa zero” e o “sem entrada” são coisas de 0 km.
LEVE A LUPA
Você escolheu o carro, combinou com o dono e foi lá dar uma olhada. Quando chega... o veículo está sujo, empoeirado. Fique esperto! Alguns vendedores deixam o carro assim para você não perceber falhas na pintura, riscos ou possíveis batidas leves. Se for o caso e você quiser muito o automóvel, pague um lava-rápido. Vale o investimento.
O MECÂNICO
Não adianta você entrar no carro, acelerar três vezes, ficar ali fingindo que conhece o ronco do motor e achar que está bom. Caso não tenha noções de mecânica, leve junto alguém que manje do métiêr. Um válvula batendo, o óleo que não sobe ou um radiador entupido podem se tornar problemas graves se você não detectar na hora.
PNEUS
Pneus gastos nem sempre significam  carro mal cuidado. Normalmente são sinônimo de honestidade. Mas, para isso, faça uma conta simples. O jogo de pneus dura entre 40 mil e 50 mil km. Então você sempre calcula a quilometragem com base nisso. Se pegar um carro com 30 mil km e pneus novos, há grande chance de o hodômetro ter sido fraudado.
PEDAIS
Outros que pegam o fraudador de hodômetro no pulo. Ele estão sempre gastos de acordo com o tempo em que foram usados. A não ser que o dono seja um alpinista que dirige com botas com cravos de alumínio, um carro de 40 mil km não deve ter os pedais desgastados a ponto de você não conseguir enxergar as ranhuras da borracha.
TUDO À MÃO
Outro ponto que “entrega” a idade do carro são as partes que o motorista mais toca com as mãos. O suor e a exposição ao sol acabam por deteriorar volante e manopla de câmbio, mesmo se as peças forem forradas de couro. Se o carro estiver com baixa quilometragem e tais peças apresentarem desgaste desista do negócio na hora.
EQUIPAMENTOS
Ar-condicionado, rádio Double-din, sistema flex, direção hidráulica, bancos de couro... Tudo isso é mais bem feito quando sai de fábrica junto com o carro. Não arrisque em comprar um carro usado ou seminovo que teve esses itens instalados fora da fábrica. Isso serve também para vidros e travas elétricas. Só o alarme passa nessa peneira.
CHASSIS
Tal problema você resolve na hora em que o seguro chega para fazer a vistoria. Mas até isso acontecer o seu cheque já pode ter compensado e aí haja Doril. Assim, olhe sempre os números em baixo relevo que ficam no motor e no assoalho do carro. Confronte com os que aparecem nos vidros. Se algum deles não bater, anote a placa e chame a polícia.
VOLTINHA BÁSICA
Seja cara de pau, afinal você é o cliente do momento e sempre terá razão. Faça um test-drive. Cheque tudo, desde como o volante está alinhado, qual o barulho que a porta faz e se há os “grilos” quando se passa por buracos. Tente, também, manter a aceleração em rotações mais altas por um tempo para ver se o motor não falha.
PORTA-MALAS  E CAPÔ
Aqui estão os calcanhares de Aquiles de quem quer enganar o comprador. A tarefa é simples e até a sua avó com miopia pode ver. Na frente olhe os parafusos que juntam pecas da carroceria ao monobloco. Se eles estiverem de cores diferentes do restante, possivelmente o carro foi batido. Na traseira é só tirar o tapete do porta-malas e conferir a cor.
BANCOS
Outros que entregam a idade do carro. Ainda que seja de couro, é nítida a diferença entre um estofamento de um veículo de 30 mil km e outro que rodou mais de 50 mil km. Sempre que for ver um carro compare com as fotos da época do lançamento. Procure na internet as fotos originais da cabine.
AMIZADE
Sempre que for possível juntar o seu desejo de comprar um carro com a vontade de um amigo vender, não deixe passar! Tenha certeza de que a pessoa que conhece você está com mais medo de vender o carro do que você de comprá-lo. E se der algum problema, é mais fácil entrar em um acordo e achar a quem reclamar. Taí uma boa oportunidade de negócio.
SAIA DA CIDADE

Adblock Detectado

Por favor, desabilite este blog no seu adblocker

Me ajude a continuar trazendo conteudo de qualidade para o blog

Muito obrigado, RIKINTOSH